quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

la calle

suportar a escritura
seu peso
o gosto amargo do mate
o vento frio de la plata

sobreviver
ao silêncio

alojado entre palavras banais
aos livros
esquecidos na memória

descimbrar o amor

suco gástrico
corroendo o estômago

e continuar

porque a beleza de uma árvore
se parece à beleza
de outra árvore

e elas caminham
afastadas
pelas ruas de paralelepípedos


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário