quinta-feira, 17 de novembro de 2016

ainda hoje

ainda hoje escrevi impertinência numa folha em branco
depois risquei um fósforo e queimei-a
até o fim

então cortei as unhas dos pés que já estavam grandes
demais para os meus passos e
eu só queria ter os pés - os dois pés - do tamanho exato
para caber nesse sapato chato
chamado vida

há uns dias você esteve em minha casa e disse qu'isso
que eu faço não é poesia
eu sorri meu sorriso mais irônico e amaldiçoei cada grão
de pipoca que você engolia
acho que foi por isso que você passou mal e ainda passa
os dias sofrendo por mim

cento e trinta e cinco grãos de pipoca fazendo pipoquices
nas suas entranhas e eu sei que é uma magia estranha
mas funciona

espero que algum dia você consiga ficar em pé de novo
embora eu não
acredite em milagres
há tantos mistérios desencapados nos fios telefônicos
quanto supõe nossa
van escolar filosofia

será que algum dia te brotarão de novo dedos de escrever
poesia?


.

2 comentários: