terça-feira, 4 de outubro de 2016

respiração

eu & você
com ela no meio das nossas frases
buscando colo
na tua língua
e meus dentes de arrancar sangue
vampirizando
reticências

se eu pudesse apontaria esse lápis
com a faca de serra
que divido o pão
agora em três fatias desiguais

como come mais aquele que mendiga
migalhas?

corro a borracha feito o trator
arando a terra dos meus ouvidos
só o eco inaudível
toques de sedução
disfarces de lamento

e eu lamento que as coisas
acabaram assim: você e ela
comigo no meio
dando colo pra tua língua

na cova do dente ainda guardo
aquela faca de serra
que s'enterra no meio daquele
pulmão


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário