segunda-feira, 20 de junho de 2016

marejada

me fincas o prego
na língua
e desloca
minha sede
para outros
sítios
mais afastados
de mim

salivas
água da bica
linda
linda àgua
cristalina

me fincas no prego
da língua
marejo

barca infinita

o corpo

me acena
m'encena
nos bastidores da métrica
marulha

poesia


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário