segunda-feira, 20 de junho de 2016

mallarmé

carrego no bolso um maço
de poemas

nos dias frios
- como hoje -
em que o tempo s'estende
infinito entre 
nós
dichavamos um mallarmé
e transamos nosso estado 
de desatino


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário