segunda-feira, 20 de junho de 2016

celebração

I
passos trôpegos
pés de pato
insensato megulho
nas coisas da terra 

II
as coisas da terra
cobertas 
por água

II
cacos tilintam 
àvidas anêmonas 
enroscando asas

III
cinzas de arraia
largam manchas no mar

IV
amargo bruto
adoçando o grande corpo 
de sal

V
tudo é vida
quando não se morre
mais

V
entre a pele e a pele
só água

VI
águias-marinhas
s'aprendendo a nadar 

VII
o tempo
comprimido no fundo 
do'mar

VII
à luz de velas
tomamos alguns cilindros 
de oxigênio
e emergimos 
bêbados
de nós mesmos


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário