sexta-feira, 27 de maio de 2016

JUNTAS E DESCALÇAS BRINDAREMOS COM JACK DANIEL'S E LITHIUM, DO NIRVANA

ela enrolou um verso muito muito longo no pescoço e não
pulou / deu
um passo apenas
sobre a superfície lisa da cadeira
a mesma cadeira
madeira vermelha em que passara muito muito tempo lendo
literatura
como se ela se estendesse muito infinitamente sobre o vazio
só mais um passo
um passo
apenas
e saiu
da estrofe
sem dizer

adeus, amiga

soluço poético fundindo sílabas atônitas num poema que já
começa apodrecer


.
_______________________________________________

J.
amiga, não tá fácil...
nem a poesia pode me salvar da tua ausência
até breve e até lá morro um pouco por dia
:'(

.

sexta-feira, 13 de maio de 2016

vida

e por que me olhas
, nua sobre a mesa,
se podes comer-me por dentro, Vida?

por que me desejas
pele, unhas, cáries
se podes desatar-me o cordão, Vida?

por que me chamas
tempo, dom, ação
Vida, se só podes nomear-me, Morte?


.

...

que fazem os vivos
quando os porteiros morrem?


.

quarta-feira, 11 de maio de 2016

terça-feira, 10 de maio de 2016

pixo

porque você meteu teu pixo
nas paredes de casa,
da minha casa
agora tua, rua, calçada
nua porque você des-
cobriu as janelas, a cortina
rendida
no banheiro dos fundos
porque você entrou sem
bater, sem
me bater com
tuas chinelas mendigas
porque você disse que não
sabia dizer
o meu nome
com laços lituanos você
desenhou um grafite
conceitual
uma ong
uma escritura
uma saída de incêndio e
acendeu incensos e
fósforos indianos
porque você meteu o teu
dente no concreto
meteu os teus pés
na porta
meteu o teu pixo
no desejo
e abriu
minha casa
pra dentro


.

quinta-feira, 5 de maio de 2016

aquário

lembrei que éramos dois
peixes:
robalo você
roubada eu
agitados no banco de trás

dois anzóis
emoldurados pelos vidros
embaçados
do aquário