domingo, 10 de abril de 2016

[gesta]

uma pedra
não a pedra, mas qualquer pedra
uma pedra qualquer
fecundada

um pedra fecundada por um sapo
míope
e velho

(porque bem sabemos que sapos nunca foram ou
virão a ser jovens)

fodida
a pedra carrega o óvulo inglório
do seu escuro mineral
de uma foda sem rima ou lírica
da batalha entre lisura e rugas

(o que é da tradição dos sapos:)

longo e pegajoso abraço de língua
o peso pesado sobre a pedra bruta
e rara

(porque raras são todas as pedras
atemporais
que suportam o coaxar invasor
em sua zona de pelúcida loucura)

anfíbia uma pedra com óvulo dentro
não sangra
infla inexistentes pulmões uterinos
respira
imóvel

matter impassível de qualquer coisa
extranha
buscando no céu alguma lembrança
de estrela


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário