sexta-feira, 29 de abril de 2016

clãdestinos

um canto
escondido no canto
da garganta
gargarejos
de limão & sal e as
penas
esperneiam

o pudor do verso per-
verso de ser
sua própria voz

canteiro
flores de algodão
um outono de dedos
sobre o dorso
da ideia
o verso
demoroso de esperas
cigarras
menstruadas sob a terra
teu nome
um uivo
enrolado à canela
limão
& sal
destemperança
na ideia:

cigarras machos
copulam
com outros machos e
com cadáveres de fêmeas
enquanto cigarras
ciganas
dançam
com deuses

no vão das coisas

um bicho-barbeiro
me lembra que o tempo
é agora


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário