quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

concertina

eu te dei o meu buquê de margaridas negras
e você cheirou
duas carreiras brancas sempararprarespirar
eu te contei em segredo o meu nome
gardênia de ascendência escorpião
e você injetou até a última gota do teu veneno
na minha garganta
e eu engoli
suas palavras ácidas
e me roubou três orgasmos porque eu não
queria dar
e então fodemos o amor feito
dois ouriços mexicanos
concêntricos
& alucinados
dezesseis mil picos no wikipédia
e o risco
roleta russa na rodovia, ruiva
você rugia
as orelhas roídas
de serpentinas e concertina
um carnaval-de-olinda
em blocos de pêlos
fantasiados nós 2 dedos
suados e metidos
na febre funda da poesia
fodíamos
e era o amor ou quase
riso de pierrô
dentes ensimesmados
fodendo
fodendo
fodendo

ourissos


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário