sexta-feira, 27 de novembro de 2015

marrabenta

uma cadeira no cio

[você queria que eu dissesse cadela né? não
eu não caibo nessa representação
estreita
e de quatro pra sua língua morta]

uma cadeira de palha
no cio
doirada porque o sol
não é metáfora
e palha ressignifica muitas coisas

uma cadeira no cio
fibras flexíveis doiradas pelo sol
suportando
o seu peso moral e uma pelúcia
larga
de lobo manco
vestindovazios
e a lua
tão longe minguando pra gente

cadelinha, você dizia, tentando
m'ajustar à pequenez
do seu sonho cifrado na minha
mudez de cadeira aristotélica

sobre mim seu peso moral repetidas vezes
assentado
roubando meus cios de cadeira empalhada

despojando-me de grãos e pássaros
secando-me na cegueira de um sol meta-
eu-fórico

cadelinha de balanço pra trás
agora pra frente: movimento vem do verbo
movimentar

a posição da cadeira ciosa
no espaço:

dança marrabenta

lua cheia



cadeira se levanta

puxa a toalha

mexe a cintura

bate os pés

e sai andando


.



Nenhum comentário:

Postar um comentário