sexta-feira, 25 de setembro de 2015

se do meu púbis nascessem asas

se do meu púbis nascessem asas
provavelmente não seriam azuis
furtacores como as da borboleta
ou delicadas como o são as asas
da petúnia, dos lírios e girassóis

pois se do meu púbis nascessem
asas provavelmente seriam essas

asas de dragão

mitológicas e resistentes as asas
em mim
pubiana
membranosas como dos dracos
revestidas de penugens
de ossatura rara e forte
e escamosa como barbatanas ou
pele delicada de cavalos
-marinhos
serpenteando em águas salgadas

mas se do púbis me nascessem
as-
-as
verteria
no abraço das pernas hidromel

masculina e nórdica ou peruana
pacha mama terrosa
ou taoísta imperial
mas sempre celestiosa carnadura
de asas ventrilocais

fera de pluma e hálito
quente
asas de estrela do mar
cadente

imortais se do meu púbis brotasse
: voo

e quando elas então nascerem que nasçam hoje

pra que possas cavalgar
                         
                            reptilínea minha

                                            garganta alada


.



3 comentários:

  1. Eu gostei só, não vou ficar falando um monte de coisas, não.

    ResponderExcluir
  2. Simplesmente maravilhosoooo! <3
    Geruza é Encantada!

    ResponderExcluir
  3. grande poema!
    gracias moça,
    estrada de ferro da poesia -
    maculada seja sempre a concepçao da palavra que é viva...

    ResponderExcluir