sábado, 25 de abril de 2015

plumas de ganso

eu invoco a musa:
ó magnânima musa das suavidades
inspira-me com doçuras!

inspira-me à voz sem veias dilatadas no pescoço
inspira-me à voz de passos compassados e lentos
inspira-me à voz em tom menor e silencioso
                                                      de suspiros
                                                      e travessuras
                                                      de travesseiros
                                                      a. herchcovitch
permita-me, musa
um único verso que valha a pena
um verso de escolha não pequena
um verso adaptável às aspas atemporais

senhora musa,
museifica-me!


.
                           

Nenhum comentário:

Postar um comentário