sexta-feira, 6 de março de 2015

experiência

eu botei uma pedra
enrolada em finíssimas camadas de algodão
úmido
o dedo indicador
pressão
sobre a pele
da pedra
ferida
o sol

eu botei uma pedra
à janela

e deixei lá germinando na primeira série do
primeiro grau

botei uma pedra muda e eles me chamavam
galinha
na oitava
galinha
da sétima
das sextas
do quinto, do inferno: vinha o nome secreto
dos meus dias

mas à noite
eles só me chamavam

e eu botei uma pedra enrolada em camadas
de finíssimo algodão
úmida
ferida
fechada
aberta
ao sol

germinosa a pedra que virou rocha, depois
penha, depois crosta, depois canion, depois
depressão, depois planíce, depois planalto,
depois montanha, depois maré, depois alta,
depois céu
azul

germinando
a g o r a s
à janela


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário