terça-feira, 9 de dezembro de 2014

rosário de dentes

trouxe de outro mundo a cara devorada
por um dragão
e um incêndio
subindo pelas ruas ruidosas da avenida que corta
aquele de-dentro da garganta
onde gritos
colidem no interior
d'um grito
mudo

era com ele que me encontrava quando cerrava os olhos
os sapatos amontoados do lado de fora e os dedos
deslizando sobre o rosário
de dentes

eu rezava a letra de uma canção do ramones
entre um trago e outro de uisque
barato
porque tava caro demais bancar
meu desejo

e caralho meu desejo é explodir
explodir essa porra desse poema meu desejo é
parar no me
io d'um verso idiota
meu desejo é dar na tua cara estraçalhada de dragão
enfiar uma bomba nesse buraco de escuro e vísceras
mijar em cima desse incêndio de merda
que você meteu
nas minhas gavetas
de calcinhas
nas minhas gavetas de camisas e calças vincadas dos meus sapatos de salto das minhas agulhas da minha erva
nas gavetas onde guardo as chaves da casa
que não tenho mais
da paz que eu não tenho mais
da vida
que você fodeu

eu quero é que se dane esse teu grito em que voa longe os meus papéis o meu dinheiro as contas de telefone e gás
que porra é essa que você pensa que tá fazendo com a minha vida?
mesmo agora quando já não faz mais
na-da
essas duas mãos nojentas trançadas
me esperando

eu quero é decepar os teus dedos enroscados pra sempre nos meus cabelos

eu quero é que o inferno te queime e todos os diabos te comam ao som estridente de uma guitarra eletrizada

que merda passou pela tua cabeça de me deixar aquele bilhete?
aquela porra daquele testamento de amor eterno?
aquela adaga sem corte
e sem adaga

vá a merda com teu amor de merda
com teu sangue aguado de merda
com teu caralho murcho de merda
com tua letra tremida de azul no papel

com teu nome escaravelho me comendo por dentro

sacana filho da puta

eu sei que você tá morto

mas eu quero que você morra mil vezes mais

uma


2 comentários:

  1. Te mato
    te mato
    te mato
    te amo
    te amo
    te a-mo
    te a-m-o
    te-mo
    te temo
    Morte

    ResponderExcluir


  2. como sou um iletrado, meio ogro com as palavras só posso falar o que senti: forte, medo, e lindo

    ResponderExcluir