terça-feira, 23 de dezembro de 2014

diálogos

à beira do rio de mim
brotam pássaros
pedras
sombras e flores
selvagens

à beira do rio de mim
em amarelos solares
as trompetes de anjo
cantam em coro com
o vento:

vem sentar-te comigo
lídia
à beira do rio
de mim

enlaça as mãos
e espera: todo o rio
corre
para o mar


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário