quinta-feira, 30 de outubro de 2014

banho

amarrei os sete ramos
das minhas ervas de poder

preparei o banho de acento
com um punhado
de sálvia
              e sílaba
tônica

botei o poema de cócoras
intimidade exposta
medicina ancestral
curadoria de chá


ele ficou ali sentado
períneo mergulhado
na mornura

preguiçoso

agora diz que tá gestando
uma flor

orquídea anã
piquininha
quase nem se vê

mas tá lá
mergulhada na fumaça

do cachimbo dele


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário