sexta-feira, 12 de setembro de 2014

capítulo 10

eu tinha dentes grandes quando era criança
como nunca deixei de ser, tenho-os até hoje

mas nunca mordi ninguém
sempre soletrei sílaba por sílaba cada um dos meus im-
pulsos

por que então o desejo agora
de morder o pescoço do tatuador e cravar os dentes ali na garganta dele pra vampirizar a fonte
das trovoadas, dos relâmpagos e desses sismos todos que ele picou nos meus olhos
ainda fechados?

e-u-n-ã-o-s-e-i


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário