domingo, 10 de agosto de 2014

ploc

acabo de me apaixonar perdidamente por um garoto no metrô. 19/20 anos no máximo. com aqueles gorros largos de lã na cabeça saca? jogando alguma coisa barulhenta no celular. aí eu tava com um rastro de sorriso tipo alguma lembrança boba pendurada no canto da boca e ele roubou pra ele de um jeito que nem me desconcertou. isso antes ainda de eu entrar. meu olhar colou no vidro e foi arrastado até o trem parar. entrei. sentei de frente pra ele. a gente ficou se olhando. ele fez uma bola de chiclete bem suave. eu fiz outra. maior. e macia. aí ele mastigou duro. eu idem. aí fez uma bola maior do que a maior minha. eu tentei de novo mas meu chiclete era de melancia. frágil. estourou em ploc. aí ele riu de canto sem subir pra tomar ar. a gente tava no fundo da piscina. os olhos muitos vidrados um no outro. então ele deu uma leve estufada no peito dentro do moleton e fez uma bola razoável como quem diz olha-a-minha-bola. aí então eu fiz uma cara de não-to-nem-aí-pra-tua-bola. abri a bolsa. peguei outro chiclete. abri bem devagar e sem tirar os olhos dos olhos dele. enfiei na boca. mastiguei de um lado. do outro. misturei no chiclete antigo. ele era bem doce e cheiroso. aí comecei a soprar. antes abri o casaco e tirei o cachecol. acho que ele tava louco. eu tava. então eu fiz uma bola de responsa. grande macia delicada e quase transparente. meu pulmão todo lá dentro. depois fui chupando o ar devagarinho até a bola murchar. bem suavemente. e foi só. ele devia ter 19/20 anos. tinha muito potencial mas nunca conseguiria fazer uma bola maior que a minha. quer dizer... será?


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário