quinta-feira, 21 de agosto de 2014

palavra grande

buscas a exatidão nesse meu sentir
palavra grande que contemple tudo
cômodo espaçoso pra tua morada

e cavas as dobras do pensamento
tentando decifrar as línguas mortas 
remexendo baús e cantos da ideia
dos meus mestres antepassados

nada há no meu sentir que seja ex
ato contínuo disperso num tempo
eu já te disse passarinho asa carne
lesmas conchas asfalto bomba atô
mica carnaval moscas vento e pão
............................................
fiz um ninho desabitado de ovo
no meu verso .........................
que não cabe palavra nem letra 
e justo ao sopro desse silêncio
............................................
que teus olhos já não ouvem mais


e dito isso nada é o que ainda há pra dizer.


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário