domingo, 13 de julho de 2014

tulipa

queria te envolver co'a minha escuridão
e plantar uma lua no teu peito, redonda
                                            e nova

pequenina como botão, invisível
em gola de camisa
pra não acender luz nenhuma no que é trevoso

escuressência líquida escorrendo sobre asfalto
no teu peito, eu
trinca fechada na tua camisa
                            de força
sobretudo
nua negra lua fenobarbital
tu-lipa despetalada
pendendo na forca


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário