quarta-feira, 11 de junho de 2014

livro

o frio me anoitece
cubro-me c'uma pá de cal
e espero novo amanhecer

porque tudo se encova
no correr dos tempos
corpo coveiro aprende
o ofício

menos o sábio

quando exumaram o corpo do sábio
tudo já era o nada só
a cabeça guardada dentro do crânio
ainda cheia de miolhos
                        castanhos
                        negros
                        verdes
                        azuis

intactos
e
curiosos


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário