sexta-feira, 6 de junho de 2014

lâmia

santiago caruso

e se prometi despir-me é porque por debaixo da pele outra pele guarda debaixo dela aquela que ainda outra e outra e outra e nunca eu mesma nua despida da casca dura e se jurei não comer teus filhos é porque teus filhos não são teus que não pertencidos antes meus mãe de todas as criaturas dona da vida tua então esforça-te para ver o que sem esforço algum eu vejo a fé engolida pela loucura ruminoso desejo de asas pousado em escamas frio arrepio de dedos sobre lembrança ainda vermelha no amanhã e se prometo descanso é porque te sei cansado também eu te sei rendido à boca também eu concedo que de mim conheças a única nudez possível sem pele e sem freio dos dentes


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário