segunda-feira, 14 de abril de 2014

erupção

a erupção de uma boca
assim no meio do hoje
da sua barriga
uma boca
vulcão
irrompe a minha / manhã
cem mil pétalas de rosas
vermelho agora o asfalto
dessa pele traço a passo
lava lavo a nuvem vapor
rosa entre dedos o anel
dois sóis saturnos negros
num raio muito próximo
de quatrocentos milhões
de poros cuspindo gotas
e as cinzas coloridas fa /
íscas de fogo seus olhos
pingando doce / no meu
vulcão
uma boca
na minha barriga
assim no meio do hoje
a erupção de um vulcão

amantes ((refugiadas))
na falha
tectônica d'um sorriso

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário