sexta-feira, 18 de abril de 2014

café da manhã

depois de uma noite escura
mais um dia começa no café
da manhã
ritual diário de reconstrução
do eu dissolvido em sonhos

então junto os cacos de uma instalação capenga
e frágil
um nome: amanda ou geruza, eduarda ou maria,
clico três fotos de perfil - clássica, descontraída
e/ou misteriosa
camisa gravata saia plissada de filosofias orientais
sobretudo adulta
              eficiente
              curtida
              exemplo 
              em edição de bolso

um último gole e o borrão de café prevendo o dia
de ontem atrás da porta

quem me vê assim: revestida toda montada na cola
tenaz
não sabe a matéria informe de arestas pontiagudas
completamente afundada na xícara de porcelanazul
que não acaba até o dia acabar

nome atrás do nome
sobrenome trincado:
desespero


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário