domingo, 2 de março de 2014

guepardo

guepardo namorador
apreende o primeiro cheiro novo
da gazela e depois seus olhos em flor
aromática inocência menina
cravada na língua felina
da fera
já era
liberdade em cascos paralíticos
encarcerada em grandes grades
olhar engolidor de presa
apaixonada
a gazela noiva em imóvel e casto aguardo
apaixonado
arremesso de dentes trêmulos de tesão
toda ela no cheiro antecipado do gosto
saliva colírio umidecendo extática
mira fixa na pressa do gozo
gazela mordida todinteira
em sangue
viva


na vida
do guepardo

.



Nenhum comentário:

Postar um comentário