quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

tauromaquia

as páginas vermelhas do meu livro-arena
são capas de toureiro
driblando os sentidos
investindo contra a bravura de um leitor
que não se intimida com giros circulares
dessa lide espanhola
encarnada no tango
o tempo se refaz a cada giro origem e
fim que recomeça e começo do meio
justa à ideia-desejo
diferindo-me
golpes
agitada no detrás para a frente e vice
verso que se emenda na encomenda
da tua palavra final
distorcida e esticada e m'espelhada
imagem que só tem lugar no intervalo
instante ampliado
neste para sempre
de dedos que não são ilusão do papel
e revidam a ordem
e buscam o caos de uma frágil memória
as páginas vermelhas dessa arena-livro
são a capa curtida
dourado escarlate
sudário de toureiro
sacrifício à tradição
de palmas e uivos
ao reso
luto
   uro
que
      o
ali
men
     
ta


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário