sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

o mar

o mar no seu fundo do fundo-de-mar sabe o poder que tem. e sabendo sabe esquecer para no mais-mar-das-vezes concentrar-se no seu ir e vir e vir e ir e ir e vir e esbarrando apenas sua língua espumosa no limite de areia que lhe cabe. e dentro do espaço que me cabe surpreender, assustar, emocionar, fazer rir e chorar as crianças. principalmente as crianças com peixe dentro... o mar não se compromete. a não ser com movimento. com o ser-mar-em-movimento. 

o mar é a literatura.

mas no fundo do fundo... literatura não é literatura.


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário