sábado, 25 de janeiro de 2014

inutilidade da fuga

sento
sem tempo
contemplo:

do alvorecer dos teus versos
ao anoitecer
                  onde nascem
                          os meus

porque assim se constroem
                          os dias
porque assim se constrói
                          minha poesia


.



Nenhum comentário:

Postar um comentário