terça-feira, 7 de janeiro de 2014

eco

debruço-me narcísica e
lanço ao espelho d'água
uma palavra
duas e três
quatro versos
mínima estrofe

lanço-lhe um poema raro
feito de rosto e pergunta
e o que as águas me respondem?

"nada"


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário