segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

cabralino

inavegável
eu
te trouxe

são minhas as marés
altas
o riso de pálpebras

a pele que pisas é superfície
delicada renda destrançada
areia
ouro
e sal

os teus pés cavam poros
milhares
espalhados por toda extensão
das costas
      marinhas

meu
teusouro
escondido num vão impossível
àporo

nada 
pode ser descoberto
na nudez


.


Nenhum comentário:

Postar um comentário