quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

wallerianas

sob tua pele
o cheiro ruivo de flores rasteiras

wallerianas impacientes
perfurando poros, pólen
aromatizando o caminho
guiando cega minha boca

teu fruto
extensão da minha fome


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário