quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

verão

e se da minha boca
ainda só conheces a palavra
saiba que ela saliva
aguada

da tua boca
não conheço nada
além do que inunda a língua
cospe
então

tuas palavras secas
sobre a palma suada da mão
e molha

mas não escreva
não, não escreva

toca apenas teu sax

toca sem pressa
        à mão livre
a origem pulsante de toda ideia


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário