quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

do lado de lá

colada à minha pele
tua rara poesia de sopro

corpo
silencioso
solo de dedos
afiados no metal

embocadura
apertada na chuva marginal


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário