domingo, 3 de novembro de 2013

XVI, Hilda Hilst

Túlio, não me pertenço mais.
Nem as palavras agora me pertencem
Antes, são tuas, a alma e a palavra
E dura dentro de ti vou me fazendo
Medo e muralha.

E se quiseres posso ser convento
E calar meu verso, alimentar meu corpo
De corredores vazios e rosários.

Túlio, só de te ouvir o nome, desfaleço.
E a alma que sabia a entendimento,
De si mesma não sabe, nem do gozo
De te amar, que conhecia.

E se a ti, Túlio, te pertenço, ai, nunca mais
Do amor vou conhecer minha alegria
Hei de fazer-me triste à imagem tua
Hei de ser pedra e areia, soberba e solidão
Montanha crua.

HILDA HILST
Júbilo, Memória, Noviciado da Paixão.


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário