terça-feira, 5 de novembro de 2013

solidão

se eu fosse uma cidade

dentro da minha cidade

nesta noite em que os carros bêbados cortam os sinais
em que os maridos cortam a garganta de suas mulheres
as crianças choram sozinhas esquecidas nos chiqueiros
e o poeta mira da janela sua sombra cinza na calçada

pouco teria de mim pra oferecer ao forasteiro:
uma sarjeta
uma esquina
um poste de lâmpada quebrada
um puteiro lacrado pela polícia
um livro de HH esquecido no metrô

um beco
um beco sem saída

na cidade
dentro da minha cidade
só tem isso e a solidão
de quem está em cada um desses lugares
em casa


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário