terça-feira, 26 de novembro de 2013

luares

pressiono
teu caos entre os dedos
aperto tentando conter o que em mim falta
partículas
me escapam e transcendem o trato

discreta uma borboleta
pousa-me delicada sobre os ombros e cochicha um segredo
leve ao vento os pés do ouvido

uma matilha se aproxima
à frente
um lobo alfa fareja noites de lua
cheias


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário