domingo, 10 de novembro de 2013

de cima pra baixo

na parede
cujo reboco descarnado
exibe corroídos tijolos
vermelhos

penduram-se
duas gaiolas
seguramente
encadeadas:

a primeira guarda
empoleirada e trancafiada
minha mão direita
[a mão que escreve]

a segunda guarda
trancafiada e empoleirada
minha mão esquerda
[a mão que sonha]



no chão esticado e de bruços jaz um corpo inerte e nulo


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário