sexta-feira, 18 de outubro de 2013

íntimo & pessoal

eu passei muito tempo hoje
hoje eu passei muito tempo
olhando o vermelho
olhando o vermelho que escorria
que escorria junto com a água quente
junto com a água quente do banho

eu queria te matar

olhando o vermelho
o sangue que se despedia de mim
o sangue que se despedia de mim
mais uma vez
porque sei que não terei muito tempo
logo logo esse sangue espontâneo vai
parar

e eu fiquei olhando o vermelho
e eu queria te matar

eu queria te matar também

mas eu não vou fazer isso

eu não vou fazer isso porque conheço
esses mortos todos
esses mortos todos imolados em ódio-amor
esses mortos amorodiosos que sobrevivem
pra sempre
no de-dentro da gente
colados como poeira invisível sobre as coisas
pele descascada, caspa que a gente não repara
mas está lá
lombrigosos parasitas comendo nosso alimento
solitária de dois metros serpenteando a pineal 
carne espectral aninhada bem no útero da ideia

cobrando seu quinhão de pensamento
se revirando no túmulo que virou meu coração

eu queria te matar

mas não vou

eu conheço todos esses mortos
mal ditos e incapazes de fazer silêncio
construtores de hiatos
corpos amontoados na cova de um V
um V que atende pelo nome de Vida

não
eu não vou te matar
mas só pra que você morra


e eu descanse
pernas esticadas na paz


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário