quinta-feira, 24 de outubro de 2013

eu queria

eu queria
não começar o poema com eu queria
eu queria
é tão futuro do pretérito
eu queria começar o poema com eu quero
ou, melhor ainda, só com quero
que é o desejo ele mesmo querendo
independente do eu
quero
começar o poema com quero
mas isso tudo de querer me deu uma fome danada
que a única coisa que [eu] quero mesmo
é comer um sanduíche de mortadela
com tubaína & gelo
descalça e displicentemente vestida
com um tomara-que-caia
de algodão
e um livro bem aberto entre minhas pernas semi-
abertas
descansando
[de tanto querer]
à sombra
do meu pé de laranja mecânica


.

Um comentário: