quarta-feira, 30 de outubro de 2013

durante a noite

o que ela faria se
          ela fosse eu?
faria o poema
comigo sendo ela?

rudezas e ruídos
no seu caminho de vinhas
equilíbrio frágil nas canelas
corroídas de pés

e depois o trajeto de mãos
palmas suadas coladas ao chão
sustentando o peso do corpo

parada
no acostamento
silêncio atento aos urros
e murros do estômago

uma cabeça na mochila
uma cabeça grande & redonda
uma cabeça sem olhos
guardada na mochila
junto com a roupa suja
                   pedaços de pão duro
                   e uma faca
                             boa de corte

a tampa de uma cabeça
rolando no asfalto

parada
no acostamento
ela assiste as luzes velozes
noodle enrolado aos dedos
sugando de ponta a ponta
lombrigas cerebrais
sem divagar


.





Nenhum comentário:

Postar um comentário