quarta-feira, 23 de outubro de 2013

das obrigações

se eu fosse poeta
                  poeta macho
                  mesmo
eu só poetaria sobre
                      putaria

putaria grossa
porra na cara
gulosas
putas pululando em cima do pau
         [sem o pululando, claro]
& pedofiliazinhas
    na feira do livro

se eu fosse poeta
eu só punhetava com saco cheio
                                 peludo
                                 de palavrão
                                 lambendo
                                 orifícios de piranha
                                 [risca o orifício]

nada de dor meia boca
                   meia tigela
                   meia entrada
                   meia soquete
                           [boquete pode]
                   meia lua
                   meladas melancoliazinhas
                                fim-da-picada
                                fim-da-garrafa

mas sou a porra
             de uma poetisa
             que rima com profe
                                     tisa

tenho de empregar
na firma
toda família
de metáfora chata:

muza
meduza
geruza
bluza
Siracuza


caralho

é foda viu


.         

Nenhum comentário:

Postar um comentário