terça-feira, 1 de outubro de 2013

alucinações

insone
alongo-me
na noite nua

o relógio demora

um pássaro pousa-me
                   azul
                   à barriga

mergulha penas
banha sonhada escama
no orifício central
                  lago artificial
                  de uísque

insone
alonga-se
minha vida nua

o pássaro azul
paciente
faz seu estranho ninho
aramado em feixe dourado
                     de finíssimos
                     cordões
                     umbilicais


.
                            



Um comentário: