quinta-feira, 15 de agosto de 2013

sacerdotisa

sento-me frente a Tv
olho: mas não Tvejo

apenas eu no entorno
           centro de uma nudez
pulsante, eletrificada
           atravessada por fios
de aranha farpada
           conectando-me à rede
de eventos inventados

conexões fio-terra
suspensão em airless

banho ainda rente à pele
aroma de Roma e hortelã
                escorre pelos dedos
m'olhando veludo verde
                e vermelho do sofá
um império pingando
                sobre o carpete gasto
de insônias e vaivéns de pés

antiga meditoerrônea Reia
                tomada Marte
                tornada mártir
                mar-armada Mãe

líquida placenta
previsão de nado
Romulo & Remulo
gemem os gêmeos

Reia nua ao centro
império de pelos pubianos
grama negra possuindo o corpo
mãos rosto pés orelhas e anseios
instintiva mutação de vestes vestais
audição tátil potencializada nos poros

Reia a loba louca
alucinada correndo às margens
ruínas vestígios rastros e restos de leite fresco

com fome de filhos




.

Nenhum comentário:

Postar um comentário