sexta-feira, 2 de agosto de 2013

depois que limpei as janelas, tem entrado tanta luz neste quarto... como se o sol gritasse escandaloso que tá se queimando de vida... mas será que ele tava assim ontem? nos últimos dias? meses? anos? nos últimos 5 anos? como é que eu não vi isso? será que tem mais alguém que não tá vendo?
porque agora que vejo esse espetáculo, assim de graça na minha cara, fico pensando naquele que está no escuro, cheio de dor, olhos embotados de lágrimas, de luto por alguém ou por si mesmo, mergulhado numa infelicidade daquelas sem tamanho e sem fim... o que eu diria pra esse meu amigo? eu que, como ele, apalpei cada centímetro desse quarto escuro que habita o iluminado?
sem dúvida diria: aproveita, aproveita mesmo cara cada segundo dessa dor, viva intensamente até o limite esse sofrimento, sofra, sofra, sofra o mais que possa, não se deixe convencer pelo blablabla de que isso vai passar, nãoooo!, aproveita essa angústia, chora pelos cantos, chora antes de dormir, quando acordar, durante todo o dia, tenha muita pena de si mesmo, mergulhe o mais fundo que puder... claro que pode ser que você acabe se matando, mas fazer o que, a vida é assim e isso não é o fim do mundo também (pelo menos pros outros)... eu não tive coragem, mas tentei, juro que pelo menos tentei...
isso não é piada cara, não é brincadeira, literatura, jogo de palavra, é verdade, quer dizer, é o que penso de verdade... porque na tristeza, na angústia é que a gente vive o que há de mais produtivo em termos de pensamento, é incrível! mas só nesse estado a gente vê as coisas como elas são, e mais: a gente pensa coisas realmente importantes, coisas urgentes de serem pensadas, coisas que valem a pena mesmo, sabe, pensamentos que fazem a diferença...
porque, infelizmente, a porra da felicidade é inevitável, é uma merda! mas uma hora ela volta e não dá pra escapar de jeito nenhum... ela te pega desprevenido, quando tá limpando a janela, por exemplo, mas se não limpar acho que ela é tão filha-da-puta que é bem capaz de quebrar os vidros pra entrar de qualquer jeito e aí... aí ela te pega... porra te pega legal e vai te enchendo de sorrisinhos, ventanias lá por dentro e, o mais ridículo, a gente fica meio assim, não sei, meio louco pra fazer metáfora brega de espetáculo solar e botar emoticons no final das frases, tipo :)

é e, por mais que a gente tente se livrar, essa alegriazinha do caralho cola na gente e não desgruda... e aí, meu irmão, quando a felicidade te pega, você não pensa mais nada... fica assim, inútil, besta, totalmente desumano, só sendo feliz... (pelo menos por um tempo).




.

Nenhum comentário:

Postar um comentário