quarta-feira, 7 de agosto de 2013

dançando no escuro

as lágrimas são
o corpo
                     líquido
do amor
incabível no de-dentro

invasão de fronteiras
abandono da Casa-casca
viagem ao desconhecido

corpo de sal
tempestade
maremoto
que se derramam
                  dos olhos
                  nos olhos

cegueira


olhos e mãos s eencontram
na trincheira: aliados
que juntos avançam na aventura
do enigma
           do escuro
           no escuro

giram
     atiram
           balançam
                      caem

invasão do medo
íntimo inimigo
reflexo no espelho
filho bastardo
do amor que o gerou

cegos medrosos em
movimentos ébrios
balançam no espaço
sem pré-visão
             de fim

e porque balançam
e porque não há como
                          não balançar
invade-lhes uma estranha coragem
                  uma infinita coragem
                  uma desesperada coragem

coragem de dançar



.           

Nenhum comentário:

Postar um comentário