quarta-feira, 21 de agosto de 2013

bimotor

coloco um pé sobre teu pé
[com cuidado pra não pesar]
teu outro pé meu outro pé
[com cuidado pra não pesar]


e leve
pousada
a tantos pés
de altura do chão
sobrevoo a cidade

olhos meus colados aos teus
um e outro um no outro
[com cuidado pra não pesar]

dois motores
               num único voo
remoto e noturno
e sereno
        de acidentes
        de ácidos caninos
                        famintos

vejo detalhes que sempre vi
dissipando minha cegueira
de nuvens pesadas e escuras

asa minha presa à
asa tua presa à minha

tudo inteiro
meio bonito meio feio
meio bonito meio feio
meio e meio
            inteiros


tua voz
teu cheiro
teu gosto
teu corpo-casa
não se distinguem do
céu


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário