terça-feira, 13 de agosto de 2013

amor em branco

a tela em branco
não é folha de papel

n'ela nenhum vestígio
                    de lágrima
                    se adivinha

nenhum rastro
nenhum traço
nenhum borrão

nada denuncia
o corte
o erro
o apagado
o precisado
o escrito às pressas

o presente
por cima do passado

aqui nada termina
tudo [parece]
está sempre
começando

do nada

.
                      


3 comentários: