quarta-feira, 28 de agosto de 2013

posições

não brinco de poesia
eu vivo a poesia

se ela não me vive
se brinca comigo
se se economiza


o problema é dela

custa caro não viver

eu pago pra [vi]ver


.

literatura russa



sem talento para o ataque
leitora assídua de poesia
deixa o sonho da esgrima
para ser engolidora de espadas
no popular circo moscou

di-versificou sua técnica
engolindo espadas, floretes & sabres
usando sensores elétricos
e luzes que sinalizam a profundidade
tocada pela arma branca

todos aplaudem
e dizem que nasceu pra isso
mas ela sabe: sua luta é outra
está no lugar errado
e bem longe de Casa:




.

mudez


diante do abismo
toda fala se precipita


.

antes da sobremesa



a doçura do mar
é toda feita de sal
a doçura de amar
é feita toda de sal
d
a
d
e
s


.

diabólico



quando o céu desaba
o corpo todo se arca

sob o peso do inferno
pairando azul e infinito 
sobre nossas 
                    cabeças


.

ideiais



somente
semente
que não cabe 
em si transborda mundo


.