terça-feira, 30 de julho de 2013

sobrenome poesia

e porque essa poesia toda
nem que eu aperte
nem que eu dobre

nem que eu sambe em cima dela
não me cabe
é que eu vou me colocando
assim
     aos poucos
                   e diva-
                          garinho 
até que eu me entre toda n'ela
justinha no meu corpo de geruza

um geruza aqui um geruza ali
e eu vou véu azul me assinando
e assassinando todo o resto
de vermelho

porque geruza
geruza é sobrenome de poesia

geruza

geruza é o nome que me usa

.

Um comentário: